VACINAS INFANTIS | ROTAVÍRUS

Atualmente uma das formas mais eficazes de prevenção contra gastrenterite por rotavírus é a vacina. Dispomos de duas vacinas orais altamente eficazes contra o rotavírus: a vacina do laboratório GSK (disponível tanto na rede pública quanto na privada) e a do laboratório MSD (disponível somente na rede privada).

GSK
É uma vacina de rotavírus humano vivo atenuado monovalente, do sorotipo G1[P8] da cepa RIX4414. Deve ser administrada por via oral em duas doses com intervalo de dois meses. A primeira entre 6 e 14 semanas de vida e a segunda entre 14 e 24 semanas, com intervalo mínimo de quatro semanas entre elas. A eficácia para gastrenterite grave por rotavírus varia entre 68,5 e 90% e para hospitalização grave devido à doença pelo vírus, entre 65,4 e 93%.

MSD
É uma vacina pentavalente de vírus vivos atenuados composta por quatro vírus humanos (G1, G2, G3 e G4) e um bovino (P1). Também é administrada por via oral, mas em três doses com intervalos de dois meses. A primeira deve ser realizada entre 6 e 12 semanas de idade e a terceira não deve ultrapassar a 32a semana. Para esta vacina é relatada uma eficácia de 74 a 98% para doença grave.

Em caso de vômitos ou regurgitação após a vacinação, o Ministério da Saúde não recomenda repetir a dose da vacina.

Como eventos adversos podem ocorrer irritabilidade, febre, fadiga, choro, perda de apetite, diarreia e vômitos. Não há relato de aumento do número de casos de intussuscepção com o uso destas vacinas.

Está contraindicada em crianças reação anafilática prévia a qualquer componente da vacina. Também em crianças com história de doença gastrintestinal crônica, inclusive malformação congênita do trato gastrintestinal e portadores de imunodepressão (exceto HIV).

Ao contrário da vacina Sabin, crianças em contato com imunodeprimidos e crianças portadoras do vírus HIV devem ser vacinadas.

Deve-se postergar a vacinação se a criança apresentar alguma doença grave, vômitos ou diarréia.

A vacina contra o rotavírus pode ser aplicada concomitantemente com qualquer outra vacina ou com qualquer intervalo, sem interferência na eficácia ou aumento de eventos adversos. As vacinas de vírus vivos de uso oral, rotavírus e Sabin, podem ser administradas no mesmo dia ou com intervalo de 15 dias. O leite materno não interfere na resposta de ambas vacinas.

Voltar