Benefícios do Chá de Erva Doce para Tratar a Gripe

Chá De Erva Doce É Bom Para Gripe

Saiba agora quais são os reais benefícios da bebida

Com o advento das redes sociais, tornou-se fácil disseminar notícias falsas, conhecidas como fake news. Recentemente, uma dessas notícias chamou a atenção e foi desmentida pelo Ministério da Saúde: o boato de que o chá de erva-doce pode curar a gripe H1N1.

Embora não haja comprovação de que o chá de erva-doce cure doenças, há benefícios para o corpo ao consumi-lo, especialmente no combate a problemas estomacais.

Em parceria com a nutricionista Viviane Lago, reunimos abaixo algumas informações sobre os mitos e verdades relacionados ao chá de erva-doce e à gripe H1N1. Descubra agora mesmo o que é verdadeiro e o que não passa de boato.

Preparando o chá de erva-doce para tratar gripe

Preparar um chá de erva-doce é um processo simples e rápido. Primeiro, coloque água para ferver em uma chaleira ou panela. Enquanto a água aquece, pegue uma xícara e adicione cerca de uma colher de sopa de erva-doce seca. Assim que a água estiver fervendo, despeje-a sobre a erva-doce na xícara.

É importante tampar a xícara após adicionar a água quente. Isso ajuda a preservar os óleos essenciais presentes na planta durante o tempo necessário para preparo do chá, que geralmente é por volta de 10 minutos. Ao manter a tampa fechada, você evita que os vapores escapem e garante que todos os benefícios da erva-doce estejam presentes no seu chá.

Após o período de infusão adequado, chegou o momento de coar o chá. Utilize um coador fino ou filtro próprio para esse fim e despeje lentamente o líquido da xícara para outra vasilha limpa ou diretamente em sua caneca preferida. O objetivo dessa etapa é remover as folhas soltas ou pequenos pedaços da planta presente no líquido final.

Agora seu delicioso chá está pronto! Você pode consumi-lo imediatamente enquanto ainda está quente ou deixá-lo esfriar antes de beber caso prefira uma temperatura mais amena. Adicione mel ou limão se desejar adoçar ou dar um toque cítrico à bebida.

Dicas práticas:

– Se não tiver ervas secas disponíveis, você também pode utilizar erva-doce fresca. Basta picar as folhas e os talos em pedaços menores antes de adicionar a água quente.

– Experimente diferentes quantidades de erva-doce para encontrar o sabor ideal para você. Se preferir um chá mais suave, utilize menos quantidade; se gosta de um sabor mais intenso, aumente a quantidade.

You might be interested:  Dicas para Recuperar a Voz Rouca da Gripe Rapidamente

– Guarde as sobras do chá na geladeira por até dois dias. Você pode consumi-lo frio ou reaquecer quando desejar.

Exemplo:

Para preparar seu chá de erva-doce, coloque uma xícara de água para ferver enquanto separa uma colher de sopa da planta seca em outra xícara. Assim que a água estiver fervendo, despeje-a sobre a erva-doce e tampe imediatamente por cerca de 10 minutos. Em seguida, coe o líquido utilizando um filtro fino ou coador e transfira-o para sua caneca favorita. Agora é só aproveitar essa bebida deliciosa!

Mitos e verdades sobre o chá de erva-doce no combate à gripe

O chá proveniente dessa planta possui diversos benefícios, porém não possui propriedades curativas.

O chá de erva-doce auxilia o sistema respiratório e digestivo | Imagem: Shutterstock

Chá de erva-doce: uma alternativa eficaz contra a gripe H1N1

De acordo com informações do site Saúde sem fake news, desenvolvido pelo Ministério da Saúde, é um mito afirmar que o chá de erva-doce contém o mesmo princípio ativo presente no medicamento Tamiflu (fosfato de oseltamivir).

Conforme o Protocolo de Tratamento de Influenza 2015 do Ministério da Saúde, o medicamento antiviral fosfato de oseltamivir é recomendado para todos os casos de síndrome respiratória aguda grave e também para casos de síndrome gripal que apresentem condições ou fatores de risco para complicações.

A importância de buscar orientação médica ao apresentar sintomas de gripe

Verdade. Apenas o médico é capaz de avaliar a necessidade de prescrever o uso do antiviral fosfato de oseltamivir. O remédio é prescrito em receituário simples e está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS).

É essencial saber que, de acordo com o Ministério da Saúde, mesmo as pessoas vacinadas devem buscar atendimento médico imediato se apresentarem sintomas gripais. Essa recomendação é ainda mais crucial para indivíduos pertencentes a grupos vulneráveis, como crianças, idosos, gestantes e pacientes imunossuprimidos.

Chá de erva-doce auxilia no tratamento de problemas respiratórios

Verdade. A nutricionista Viviane Lago explica que o chá da erva-doce ( Pimpinella anisum L.) possui benefícios que podem estar relacionados com atividades sobre os sistemas respiratório e digestivo. Assim, as principais indicações para o uso da erva são: cólica e dor abdominal associada à má digestão.

De acordo com a profissional, “esses benefícios do chá de erva-doce se dão pelo efeito carminativo (redução de gases) e espasmolítico (previne espasmos nos sistema gástrico). Tais benefícios estão relacionados ao óleo essencial chamado transanetol. Porém, atenção, não deixe de seguir as recomendações de uso.

Chá de erva-doce não é recomendado para gestantes

De acordo com Viviane, é um mito afirmar que o chá de erva-doce não pode ser consumido durante a gravidez e lactação. Na verdade, quando tomado em quantidades adequadas, esse chá pode ser seguro para as gestantes. Para prepará-lo, utiliza-se os frutos da planta através de uma técnica chamada decocção. Essa técnica consiste em ferver a planta em água por um determinado período de tempo.

You might be interested:  Tuberculose: A Busca pela Cura

De acordo com as orientações do Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira, a erva-doce deve ser cozida por aproximadamente 10 minutos. A nutricionista recomenda utilizar uma quantidade de 3 colheres de café (equivalente a 1,5 g dos frutos) para cada 150 ml de água.

Chá de erva-doce: contraindicações a serem consideradas

Sim. Em grandes quantidades, o chá pode afetar a eficácia de certos medicamentos, portanto é fundamental seguir as instruções de consumo fornecidas por um profissional qualificado. Além disso, é essencial interromper imediatamente o uso em caso de reações alérgicas.

Viviane Lago é uma nutricionista com formação pelo Centro Universitário São Camilo em São Paulo. Ela possui um mestrado em Ensino em Ciências da Saúde pela CEDESS Unifesp, além de especializações em Adolescência para equipe multidisciplinar pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp), Docência no ensino superior pelo Senac e Fitoterapia aplicada pela Medicalex. Viviane também atua como consultora da Asbran, coordenadora de cursos intensivos e de pós-graduação, e atualmente é a presidente da Associação Paulista de Fitoterapia (APFit) durante o período 2018-2021.

O formulário de fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira, edição de 2011, contém informações valiosas sobre o uso e a aplicação de plantas medicinais. Na página 51 deste documento, é possível encontrar orientações específicas relacionadas aos fitoterápicos. Essas diretrizes são essenciais para garantir a qualidade e eficácia desses produtos no contexto brasileiro. É importante ressaltar que o formulário serve como uma referência confiável para profissionais da área da saúde que desejam prescrever ou utilizar fitoterápicos em seus tratamentos.

Efeitos colaterais do chá de erva-doce: quais são?

É importante ressaltar que, apesar dos benefícios do chá de erva-doce para aliviar os sintomas da gripe, seu consumo em excesso pode causar efeitos colaterais indesejados. Quando consumida em grandes quantidades, a erva-doce pode levar ao surgimento de náuseas, sonolência e vômitos. Além disso, algumas pessoas podem apresentar reações alérgicas respiratórias ou na pele após o consumo exagerado dessa planta.

Em casos mais extremos, o consumo excessivo de chá de erva-doce pode resultar em complicações graves. Paralisia muscular, confusão mental e convulsões são alguns dos sintomas que podem ocorrer quando há uma ingestão muito elevada dessa infusão. Em situações extremas, esses sintomas podem evoluir para um estado de coma.

Portanto, é fundamental consumir o chá de erva-doce com moderação e seguir as recomendações adequadas para evitar possíveis problemas decorrentes do seu uso abusivo. É sempre recomendável consultar um profissional da saúde antes de iniciar qualquer tratamento à base dessa planta medicinal.

P.S.: Lembre-se sempre que cada organismo reage diferentemente aos alimentos e substâncias consumidas. Portanto, fique atento aos sinais do seu corpo durante o consumo do chá de erva-doce e suspenda imediatamente caso sinta algum desconforto ou reação adversa.

You might be interested:  Benefícios do Leite Quente para Combater a Gripe

Benefícios do chá de erva-doce para o sono

Erva doce, também conhecida como funcho, é uma planta que possui propriedades benéficas para a saúde. Ela não tem efeito sonífero, ou seja, não ajuda diretamente na indução do sono. No entanto, o consumo de chá de erva doce pode ajudar a reduzir dores de cabeça e estresse, o que indiretamente contribui para uma melhor qualidade do sono.

O chá de erva doce é feito através da infusão das sementes da planta em água quente. Essas sementes contêm componentes naturais que possuem propriedades relaxantes e calmantes. Ao consumir o chá regularmente, pode-se experimentar um alívio nas tensões musculares e no estresse acumulado ao longo do dia.

Além disso, a erva doce também possui propriedades digestivas e anti-inflamatórias. Isso significa que ela pode auxiliar na melhora da digestão e diminuir desconfortos abdominais causados por problemas gastrointestinais leves. Portanto, além dos benefícios relacionados à qualidade do sono, o chá de erva-doce também pode ser útil para tratar sintomas como má digestão ou dor abdominal leve.

– Erva-doce (funcho) não tem efeito sonífero direto.

– O consumo regular de chá de erva-doce pode ajudar a reduzir dor-de-cabeça e estresse.

– Chá de erva-doce também possui propriedades digestivas e anti-inflamatórias.

Lembrando sempre que essas informações são baseadas em pesquisas científicas disponíveis até o momento e que é importante consultar um profissional de saúde antes de utilizar qualquer planta medicinal como tratamento.

Frequência diária recomendada para consumo de chá de erva-doce

O chá de erva-doce é conhecido por seus diversos benefícios para a saúde. Além de ser uma bebida saborosa e reconfortante, ele também pode ajudar no combate à gripe. Isso ocorre porque a erva-doce possui propriedades expectorantes e antissépticas, que auxiliam na eliminação das secreções respiratórias e no alívio dos sintomas da gripe.

Através do consumo regular do chá de erva-doce, é possível prevenir a constipação causada pela gripe, já que suas propriedades ajudam a soltar o muco acumulado nas vias respiratórias. Além disso, o chá também ajuda a reduzir a sensação de inchaço e retenção de líquidos, proporcionando um alívio geral ao organismo durante esse período.

Outro benefício importante do chá de erva-doce é sua capacidade em facilitar o emagrecimento. Ele atua como um diurético natural, estimulando os rins a eliminar toxinas e excesso de líquidos do corpo. Dessa forma, contribui para uma melhor digestão e metabolismo mais eficiente.

Para obter todos esses benefícios mencionados acima com segurança, recomenda-se consumir até três xícaras de chá de erva-doce por dia. É importante ressaltar que cada pessoa pode ter uma resposta diferente ao consumo dessa bebida medicinal; portanto, sempre consulte um profissional da saúde antes de iniciar qualquer tratamento ou mudança na dieta.