Quais As Vacinas Essenciais Para o Bebê Recém-Nascido?

Quais As Vacinas Que O Bebe Deve Tomar Ao Nascer

Ao nascer , o bebê precisa tomar duas vacinas , extremamente importantes para a saúde e desenvolvimento. Falamos aqui da vacina BCG e da vacina da Hepatite B. A BCG é uma vacina com dose única, que protege o recém-nascido do Bacilo Calmette-Guerin que causa a tuberculose, uma doença altamente infecciosa e transmissível.

Vacina contra Hepatite-B em crianças: o que você precisa saber

A Hepatite-B é uma infecção que afeta o fígado e pode ter impactos negativos no desenvolvimento infantil. A vacina contra essa doença é administrada logo nos primeiros dias de vida do bebê, ainda na maternidade.

Ao longo dos próximos meses, o bebê receberá doses adicionais da vacina contra a Hepatite-B aos 2, 4 e 6 meses de idade, além de uma dose de reforço após completar um ano. Essas medidas são essenciais para garantir uma proteção completa contra a doença.

Vacinas essenciais para recém-nascidos

Durante os primeiros dias de vida do bebê, é muito importante que ele receba duas vacinas específicas: a da hepatite B e a BCG. Essas vacinas são essenciais para proteger o bebê contra doenças graves e até mesmo fatais que podem ocorrer durante a infância. Por isso, elas devem ser consideradas como uma prioridade.

A primeira vacina que o bebê recebe é a da hepatite B. A hepatite B é uma doença viral que afeta o fígado e pode ser transmitida de mãe para filho durante o parto. Ao administrar essa vacina logo após o nascimento, estamos garantindo ao bebê uma proteção precoce contra essa doença potencialmente perigosa.

Portanto, as vacinas da hepatite B e da BCG são fundamentais para garantir um bom começo na vida do bebê em termos de saúde imunológica. Elas oferecem proteção contra doenças sérias desde cedo, evitando complicações futuras e proporcionando tranquilidade aos pais quanto à saúde do seu filho recém-nascido.

You might be interested:  Chá Caseiro para Aliviar Gripe e Tosse

Por que a vacina BCG deixa uma marca no braço?

A vacina BCG é a segunda dose que o recém-nascido deve receber durante o primeiro mês de vida.

A vacina contra a tuberculose é eficaz na prevenção das formas graves da doença em bebês. Um efeito colateral comum dessa vacina é uma pequena marca no braço da criança, que ocorre devido à reação do corpo à bactéria presente na vacina, chamada Mycobacterium bovis.

A marca que pode aparecer nos primeiros seis meses de vida do bebê não é um indicativo absoluto de eficácia da vacina. Mesmo na ausência dessa reação inflamatória no local da aplicação, a vacina ainda pode ter cumprido seu propósito e não há necessidade de revacinar o bebê.

Quando receber as vacinas BCG e Hepatite?

Logo após o nascimento, é importante que sejam aplicadas duas vacinas: a vacina contra Hepatite B deve ser administrada 12 horas após o parto e a vacina BCG, contra tuberculose, pode ser aplicada até 1 mês de vida. No entanto, é recomendado que ambas as vacinas sejam feitas na própria maternidade onde ocorreu o parto.

A seguir estão as informações sobre cada uma das vacinas:

– Vacina contra Hepatite B: Deve ser administrada 12 horas após o nascimento. Essa vacina protege contra a infecção pelo vírus da hepatite B, uma doença viral que afeta o fígado. É essencial para prevenir complicações futuras.

– Vacina BCG: Pode ser aplicada até 1 mês de vida do bebê. Ela previne a tuberculose, uma doença bacteriana grave que afeta principalmente os pulmões. A imunização com essa vacina é fundamental para evitar complicações decorrentes da infecção por tuberculose.

É importante ressaltar que realizar as duas vacinas na maternidade onde ocorreu o parto é ideal pois garante um acompanhamento adequado e seguro desde os primeiros momentos de vida do recém-nascido.

You might be interested:  A Duração da Gripe com Tosse: Quanto Tempo Leva para Passar?

Vacinação de crianças: Existem contraindicações?

De forma geral, não é recomendado deixar o bebê sem completar ou iniciar pelo menos parcialmente o esquema vacinal. No entanto, existem algumas contraindicações específicas para a vacina BCG.

A vacina BCG não é recomendada para bebês que apresentam imunossupressão, cujas mães utilizaram medicamentos que podem causar imunossupressão no recém-nascido ou para bebês prematuros com peso inferior a 2kg.

É fundamental manter a imunização do seu filho atualizada e buscar orientação de um profissional especializado.

Procedimentos pós-nascimento do bebê

Uma das primeiras vacinas que o bebê deve tomar ao nascer é a BCG, que protege contra a tuberculose. Ela é aplicada logo nos primeiros dias de vida e ajuda a evitar complicações causadas pela doença.

Além disso, também é recomendado administrar a primeira dose da vacina contra hepatite B ainda na maternidade. A hepatite B pode ser transmitida da mãe para o filho durante o parto e essa vacinação precoce ajuda a prevenir essa transmissão.

Outra importante vacina que deve ser dada ao recém-nascido é a Vacina Oral Poliomielite (VOP), responsável por proteger contra a poliomielite, uma doença viral grave que afeta principalmente crianças pequenas.

É importante ressaltar que todas as vacinas devem seguir um calendário específico de doses e reforços ao longo dos primeiros anos de vida do bebê. Por isso, é fundamental consultar um pediatra ou seguir as orientações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) para garantir uma imunização adequada.

P.S.: É imprescindível lembrar-se sempre da importância das consultas regulares com um profissional de saúde especializado no acompanhamento infantil. Eles poderão esclarecer quaisquer dúvidas sobre as vacinas necessárias e oferecer todo suporte necessário para manter seu bebê saudável e protegido.

You might be interested:  Duração do vírus da gripe no corpo

Vacinas para crianças de 0 a 2 anos

Ao nascer, o bebê deve receber a primeira dose da vacina contra hepatite B. Essa vacina é importante para proteger o recém-nascido contra uma infecção viral que pode causar danos ao fígado. A segunda dose dessa vacina será administrada cerca de um mês após o nascimento.

Aos 2 meses de idade, é recomendada a aplicação da vacina tetravalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae tipo b (Hib). Essa vacina é essencial para prevenir doenças graves e potencialmente fatais em bebês.

Aos 4 meses de idade, é indicada a administração da VOP (vacina oral contra pólio), que previne a poliomielite. Já aos 6 meses, recomenda-se mais uma dose da vacina tetravalente.

Quando o bebê completa 9 meses de vida, ele deve receber a vacina contra febre amarela. Essa doença transmitida por mosquitos pode ser grave e até mesmo fatal em alguns casos. É importante ressaltar que essa imunização só está disponível em áreas onde há risco de contaminação.

Completando seu primeiro ano de vida, aos 12 meses recomenda-se a aplicação da SRC (tríplice viral), que protege contra sarampo, rubéola e caxumba.

Aos 15 meses ocorre mais uma dose da VOP para reforçar a imunidade do bebê contra poliomielite.

Por fim, aos 10 anos de idade é necessário tomar novamente a vacina contra febre amarela como forma de manter sua proteção atualizada ao longo da vida.

P.S.: É importante seguir o calendário de vacinação recomendado pelo Ministério da Saúde e consultar um profissional de saúde para esclarecer qualquer dúvida sobre as vacinas necessárias ao longo do crescimento do bebê. A imunização é fundamental para proteger a criança contra doenças graves e prevenir epidemias.